O ex-presidente da Câmara de Vereadores de Araranguá e vereador por dois mandatos, Radnor José Alves, conhecido como Nino da Barranca, recebeu o título de cidadania honorária na noite da última segunda-feira (02), durante a primeira sessão ordinária de Setembro na casa. A autoria da homenagem é do atual presidente, vereador, Daniel Viriato Afonso, com quem tem forte ligação. “Costumo brincar que Seu Nino é o prefeito da Barranca, porque sempre quer o melhor para a comunidade, corrige os pequenos, sempre envolvido. Ajudou a construir e fundar o Centro Comunitário. Sem comentar a amizade que temos e o envolvimento familiar, ele é um exemplo na política, pois trabalhou com honestidade e dignidade”, comentou, Daniel.

Por unanimidade, o projeto foi aprovado. Além de familiares e lideranças comunitárias, a homenagem foi prestigiada pelo prefeito, Mariano Mazzuco e o deputado estadual, José Milton Sheffer, que também recebeu uma Moção de Reconhecimento da Câmara na mesma data. Para seu Nino, essa foi uma demonstração de carinho significativa. “Estou honrado e feliz por receber esta homenagem”, agradeceu o novo cidadão araranguaense.

Justificativa do projeto

“A história do município de Araranguá se conecta com a história de Radnor José Alves, conhecido carinhosamente por Seu Nino, o Nino da Barranca. E foi a sua ligação com o bairro Barranca que o fez esta personalidade tão querida pelos moradores da comunidade e pelos araranguaenses. Nascido em Pedras Grandes em março de 1937, veio para Araranguá ainda criança quando seu pai, Sizino, foi transferido na década de 50 para trabalhar na estação ferroviária, a Estrada de Ferro Dona Tereza Cristina. A famosa estação situava-se no bairro, Barranca, local onde escolheu para fixar residência, onde também se casou com Durci Batista e tiveram seis filhos: Rita de Cássia, Maria Leonor, Cristina, Radnor Filho, Francisco e Maria Aparecida; quatro netos: Rafael, Vitor, Vinicius e Maria Eduarda, e ainda, três bisnetos: Luis Arthur, Rafaela e Maria Rita. Na Barranca, Nino vive até hoje. Em 1967, Nino começou a trabalhar com Giácomo Mazzuco na empresa de cerais da família Mazzuco, onde outros trabalhadores do bairro também trabalhavam. A popularidade e a liderança exercida por Nino foi logo reconhecida pelos amigos, tanto que foi eleito vereador por dois mandatos, tendo exercido a presidência da casa entre os anos de 1981 a 1983. Foi jogador do Grêmio Araranguá e Flamengo da Barranca, times que ajudou a fundar. Atuante nos desafios que lhe surgiam e na defesa do bem-estar da comunidade presidiu o Conselho Comunitário, e foi coordenador do CAEP da Capela Cristo Rei. Um dos moradores mais antigos do bairro Barranca, nunca deixou de lutar por melhorias para os moradores. Em 2001 também recebeu uma cadeira cativa na Câmara de Vereadores de Araranguá por reconhecimento a sua participação nas sessões e por acompanhar efetivamente o trabalho dos vereadores, dando bom exemplo para a população. É admirado, grande amigo dos seus amigos, liderança nata, presença importante na comunidade, araranguaense de coração e alma. Defensor dos interesses comuns da população, e mesmo não tendo nascido no município, merece este reconhecimento, merece ser enaltecido como um verdadeiro cidadão araranguaense, motivo pelo qual, não há como negar este importante título de cidadania”.