O programa que destinará recursos para os municípios de Araranguá e Sombrio

O anúncio do Plano 1000 do Governo do Estado traz uma grande notícia para a região da Amesc, que chegará a marca de quase R$ 400 milhões em investimentos do Executivo estadual. O programa que destinará recursos para as cidades mais populosas de Santa Catarina contemplará os municípios de Araranguá e Sombrio. Líder do Governo e representante da Amesc, o deputado Zé Milton, destaca que os aportes se destinarão a projetos estruturantes com grande repercussão regional.

“Isso só demonstra o grande apreço do governador Carlos Moisés na gestão municipalista e, em especial, à região do Extremo Sul que nunca em toda a sua história recebeu tantos investimentos”, destacou Zé Milton. Pelos critérios do programa, cada municípios contemplado receberá o equivalente a R$ 1 mil por habitante, de acordo com dados demográficos do IBGE. Para Araranguá serão destinados R$ 69,4 milhões (69,4 mil habitantes) e Sombrio receberá pouco mais de R$ 30 milhões. Somados os dois municípios, serão cerca de R$ 100 milhões para além dos R$ 300 milhões que o governo do Estado está investindo na região.

Lançado na terça-feira (14), em evento que reuniu em Florianópolis mais de 1,5 mil lideranças, na sua maioria prefeitos e vereadores, o Plano 1000 é considerado o maior projeto municipalista de Santa Catarina. Nesta primeira etapa serão destinados R$ 7,3 bilhões para 70 cidades que juntas concentram 80% da população catarinense. “Estes recursos serão aplicados em projetos pelo prazo de cinco anos para a sua execução. Será um aporte considerável para dinamizar o desenvolvimento social e econômico destas cidades em áreas como infraestrutura, saúde, educação e segurança pública”, complementa Zé Milton.

O parlamentar destaca também que tamanho aporte é resultado do empenho da gestão Carlos Moisés na gestão qualificada, especialmente no controle de gastos, recuperando a capacidade do Estado de investir de forma mais eficiente que é nos municípios. Para participar do Plano 1000, a prefeitura deve enviar um ofício ao Governo do Estado solicitando a parceria com a exposição de motivos. Em seguida, é aberto um processo eletrônico bem como é preenchido o convênio chamado de guarda-chuva – o que contém os projetos de todos os municípios. Um comitê com integrantes da SEF, Casa Civil e Infraestrutura foi formado para, junto com os municípios, definir os projetos que receberão aportes do Governo do Estado.