Município estuda já ampliar imunização para faixa etária 45-49, mas faz apelo para que pessoas se disponham à vacinação

Após mais de um ano de pandemia, o que parecia ser uma realidade distante passa a fazer parte da realidade: a vacina contra o Coronavírus está disponível para alguns grupos. Só que a única arma contra o vírus não tem tido a recepção esperada pelos cidadãos de Jacinto Machado, segundo a secretaria municipal de Saúde. Entre a faixa etária 50-59 anos, apenas cerca de 35% passaram pelos locais de vacinação, o que traz preocupação.

Foi com grande satisfação que a administração municipal e a secretaria de Saúde de Jacinto Machado, sendo um dos primeiros municípios da região, anunciaram a disponibilidade de vacinas para adultos sem comorbidades.

Com duas ações no formato drive-thru, um na quarta, dia 9, para 55-59 anos e outro no sábado, dia 11, para 50-54 anos, Jacinto Machado começou a imunização de pessoas de fora dos grupos prioritários de idosos e pessoas com comorbidades. Mas, até esta segunda, dia 14, cerca de 35% de cada faixa etária estava imunizado. “Fomos testemunhas de como a vacinação causou redução no número de casos graves e internações nos primeiros grupos vacinados. Agora, queremos estender este benefício aos cidadãos sem comorbidades, para que possamos superar de vez esta pandemia”, salienta o prefeito João Batista Mezzari, o Gaiola, que acompanha de perto a evolução de cada etapa da imunização.

Adilson Piva, secretário municipal de Saúde, faz um apelo aos cidadãos com idade acima de 50 anos, com um sem comorbidades e que ainda não tenham se vacinado, para que procurem uma unidade de saúde para receberem o imunizante. “É essencial para toda a população que o maior número possível de pessoas sejam vacinadas. Isso contribuirá para desafogar hospitais, profissionais de saúde de todas as esferas, assim como acelerar o processo de volta à normalidade”, explica Piva.

Segundo o secretário, estuda-se ampliar a vacinação para pessoas de 45 a 49 anos, já que há doses de vacina à disposição, mas é necessário que haja uma participação maior da população em todos grupos em que a imunização está liberada.

Fonte: Assessoria de Comunicação de Jacinto Machado